.comment-link {margin-left:.6em;} <$BlogRSDUrl$>
_

_ quinta-feira, março 22, 2007 _



a imagem pixelizada deste clip é uma porcaria, mas reparem no efeito do vestido quando ela abre os braços aos 2 minutos e 1 segundo.


esta música, letra e batida (Matmos ou Leila) são de génio. fogo de artifício aos 3 minutos.


era para ter só os vídeos de "Pluto" mas abro a excepção para o "It's in our hands". o vestido pateta e a forma como executa uma dança infantil é o exemplo perfeito daquilo que afasta as pessoas. mas se for possível olhar além disso, ela está a dizer coisas muito importantes e escolheu apresentar ao vivo a versão da remistura dos Soft Pink Truth, ou melhor, alguém tem de fazer coisas apatetadas e ao mesmo tempo ser a maior artista de sempre, digamos que havia esta necessidade no PLANETA TERRA e ela reclamou para si a responsabilidade. às vezes custa-me que as pessoas não percebam. e a propósito: viva 2007.


'Cause it's in our hands
It's in our hands
It's all here: it`s in our hands
João | 22:41 |

11 Comments:

At 23/3/07 02:18, Blogger Eduardo said...

sim.

 
At 24/3/07 01:00, Blogger João M said...

o clip do meio estava indisponível mas já corrigi.

 
At 24/3/07 21:07, Anonymous Anónimo said...

as pantominas da bjork sempre foram um dos maiores elementos cénicos das suas performances; um deles que guardo na memória com grande vivacidade é a pantomina que ela criou para a recta final do hunter nas actuaçóes da greatest hits tour em que metia toda a gente a tentar imitá-la.
mas não há nada como o original; se bem que a capa do volta deixa-me intrigado...ainda tenho de ouvir o disco para formular opinião.


nowadays

 
At 25/3/07 15:31, Blogger Isobel said...

Acho que não existe mais ninguém, vivo, com a capacidade que ela tem de ser genial sendo, muitas vezes, ridícula. Outra pessoa com este vestido e teria sido gozada e massacrada. Eu, por exemplo, se me vestisse assim. E se tentasse cantar como ela, depois.
Mas a Björk é um ser humano à parte de todos os outros.

 
At 26/3/07 02:58, Blogger valter hugo mãe said...

conheço e admiro a bjork desde o tempo dos sugarcubes. fui comprar os discos deles - singles sobretudo, porque albuns ficaram poucos - à medida em que iam sendo publicados, nas suas diversas versões, uns com mais extras do que outros. sempre me fascinei pela voz da rapariga e sempre achei entender a sua infantil forma de ser adulta. não acho mal o vestido - acho-o lindo, na verdade -, e não me fere nada o modo como dança. é desmistificador e perverso. o ar infantil empregue num espectáculo do mais alto nível por uma artista que reconhecidamente é dotada de uma inteligência criativa acima da média, é profundamente desmistificador e perigoso. adoro. e com esta me fico. abraço

 
At 26/3/07 05:19, Blogger Simone said...

Eu danço assim também, quando danço. Cantar eu não sei.

 
At 26/3/07 10:50, Blogger Play Dead said...

Este foi um dia muito feliz.

 
At 26/3/07 21:37, Blogger sr_raposo said...

a bjork é assim de repente a unica figura do mainstream musical que (ainda) cria realmente ARTE.
viva bjork.

 
At 28/3/07 11:40, Blogger Play Dead said...

Viste-a ao vivo cá em Portugal?

 
At 29/3/07 00:00, Blogger dcc said...

Gosto do vestido. Parece uma personagem de vídeojogo japonês.
E a dança condiz, acho que tem qualquer coisa dos movimentos dos bonecos do puzzle bobble, pelo menos quando se joga naquelas máquinas de moedas já com umas bebidas em cima.

 
At 30/3/07 14:46, Blogger luísa p said...

adoro esta senhora. adoro.
pela música. pela imagem. pelo guarda roupa. até ela é de uma beleza diferente. mas bonita.

 

Enviar um comentário

<< Home