.comment-link {margin-left:.6em;} <$BlogRSDUrl$>
_

_ quinta-feira, dezembro 22, 2005 _


Google 1. fiz uma pesquisa - 'Adélia Prado + coração de cadela' - mas não apareceu nada do que queria. perdi uma hora nisto. sendo assim cruzo os braços, não há post para ninguém.

Google 2. consulto os tracks do meu blog e verifico que alguém cá chegou ontem através desta pesquisa. lamento não ter nada útil. mas se ainda for a tempo, e como sou um rapaz prestável e simpático, gosto muito daquele do José Tolentino Mendonça:
Esses estranhos que nós amamos / e nos amam / olhamos para eles e são sempre / adolescentes, assustados e sós / sem nenhum sentido prático / sem grande noção da ameaça ou da renúncia / que sobre a luz incide / descuidados e intensos no seu exagero / de temporalidade pura // Um dia acordamos tristes da sua tristeza / pois o fortuito significado dos campos / explica por outras palavras / aquilo que tornava os olhos incomparáveis // Mas a impressão maior é a da alegria / de uma maneira que nem se consegue / e por isso ténue, misteriosa: / talvez seja assim todo o amor

João | 12:08 |

2 Comments:

At 22/12/05 12:21, Blogger rita said...

"Ele não só esgravatava os dentes como também esgravatava o meu coração de cadela." ou mais ou menos isto. (li-o todo, ontem à noite...)

 
At 22/12/05 12:49, Blogger João M said...

não era bem isso acho eu. apostava mais numa coisa assim: 'ele esgravatava os dentes / esgravatava era meu coração de cadela'. mas também não era exactamente isto. olha, desisto.

 

Enviar um comentário

<< Home