.comment-link {margin-left:.6em;} <$BlogRSDUrl$>
_

_ terça-feira, outubro 11, 2005 _


hoje
apetecia-me passear pela cidade e tirar fotografias a ângulos imprevistos. partes de pombos, partes de pessoas, de prédios, de carros, de estátuas, partes de árvores, etc. intersecções e linhas rectas sobre linhas rectas. fotografar a trigonometria molhada da cidade. tudo aos pedaços.
assomou-me este desejo depois de o computador crashar duas vezes em meia hora. nos momentos de tensão tenho estas visões. hoje
não há commit para ninguém.

João | 17:10 |

4 Comments:

At 12/10/05 09:36, Blogger Major Tom said...

A ideia que tenho é que o mesmo tipo de sensibilidade pode ser adaptado a diferentes expressões: escrita, desenho, fotografia, whatever. Posto isto, fico à espera dos resultados ;-)

 
At 13/10/05 12:03, Blogger O Puto said...

Agrada-me essa ideia da geometria fragmentada. Há males que vêm por bem.

 
At 14/10/05 16:02, Blogger COCOnaVENTOINHA said...

eu prefiro fotografia de muitos pombos mortos no chão. Podiam até ter caído do ceu, envenenados à là Happy Mondays...

ah! e tinha de ser a preto e branco com aquela luminosidade particular dos dias de chuva para aumentar o lirismo da cena...

 
At 14/10/05 18:19, Blogger João M said...

eu sei q o meu post é um cliché, mas n é preciso seres mau, hein?

sim... pombos caídos no chão com as asas abertas, e depois, para o cliché ser completo, chamava-se "falling angel" à fotografia. na mesma sequência fotografava um velhote a tiritar de frio com olhos humidos (preto e branco), e uma criança suja a sorrir (preto e branco).

 

Enviar um comentário

<< Home