.comment-link {margin-left:.6em;} <$BlogRSDUrl$>
_

_ terça-feira, julho 26, 2005 _


Não há amor sem contexto.

João | 12:02 |

6 Comments:

At 26/7/05 12:50, Blogger Monastero said...

Portanto, fizeste sexo e agora estás a tentar chamar-lhe outra coisa? :P

 
At 26/7/05 13:16, Blogger MaDi said...

O amor não é nuvenzinha nenhuma. O amor é algo que se constrói, e que dá uma trabalheira enorme a construir e nem sempre dá certo.

 
At 27/7/05 14:46, Blogger João M said...

Madi, mas a construção do amor vale por si só.
Monastero, antes fosse! :p

 
At 28/7/05 11:38, Blogger Kraak/Peixinho said...

Pop :) Naum vale! Já li isto no meu blog. Humpf! Sorry, mas discordo quase na generalidade com o teu post. Claro que o amor naum é uma nuvenzinha etc e bla bla bla. O amor é algo que se constrói e é preciso ter muito amor para saber conservá-lo. Aí é que está. Naum há amores curtos. Isto tem outro nome.

Hugzzz

 
At 28/7/05 14:13, Blogger João M said...

Hello Peixe. Achei que valia a pena transformar o comentário num post. Quando o amor começa, sabes lá se vai ser curto ou longo. Começa sempre por ser curto!

 
At 29/7/05 02:23, Blogger O Puto said...

O amor nunca é puro, mas sim diluído. Por isso demora a misturar e a destilar.

 

Enviar um comentário

<< Home