.comment-link {margin-left:.6em;} <$BlogRSDUrl$>
_

_ segunda-feira, junho 26, 2006 _


about a boy

Que calamidade, ainda que sejas feito
para os empreendimentos belos e grandes
esta injusta sorte que tens sempre
te negue encorajamento e sucesso;
que sejas impedido por hábitos de pouca monta,
e baixezas, e indiferenças.
E que horrível o dia em que cedes,
(o dia em que te deixaste e cedes),
e partes caminhante para Susa,
e vais-te ao monarca Artaxerxes
que em mostra de favor te põe na sua corte,
e te oferece satrapias e coisas do género.
E tu em desespero aceita-las
a estas coisas que não querias.
Outras procura a tua alma, por outras chora;
o louvor dos cidadãos e dos sofistas,
o difícil e valioso Notável;
pela Ágora, pelo Teatro, pelos Louros.
Estas coisas como vai dar-tas Artaxerxes,
estas coisas ondes vais encontrá-las na satrapia;
e que vida vais levar sem estas coisas.


Konstandinos Kavafis

João | 21:46 | 8 comments

ANTI “Tua alma será atravessada por uma espada de dor” (Lc 2,35)

estávamos no Chiado, e, como ninguém tinha dinheiro, entrámos na Basílica dos Mártires, rua Garrett. o altar da Nossa Senhora das Dores pode ser descrito assim: uma estátua decorada com uma peruca, um manto de veludo e um punhal cravado no coração. fiquei muito interessado na encenação. a Basílica dos Mártires tem mais de dez altares, parece um workshop de vitrinagem - como se escolhe a peruca de uma santa?, o que sente o sacristão quando espeta o punhal no coração da santa?

sentámo-nos nos bancos da igreja a meditar nestas questões. um dos turistas tinha uma t-shirt da Adidas com a frase Impossible is nothing.

João | 19:07 | 3 comments

Buraka Som Sistema - Ya

João | 13:00 | 4 comments

_ sexta-feira, junho 23, 2006 _


a Lena d'Água tem um blog.

fiquei assim a saber que editou um livro de prosa poética há vinte e dois anos atrás, e se a origem não estivesse identificada, ia achar os poemas muito maus, mas a verdade é que gosto deles como coisa de 1984.
vale a pena evidenciar esta frase:

Tens um belo corpo - fazes poemas

João | 13:04 | 6 comments

sexta-feira. : )

João | 11:22 | 4 comments

_ terça-feira, junho 20, 2006 _



o elenco é favorável.
o puto mais velho é aquele do Rodger Dodger, está crescido, a Laura Linney é bonita, também tem o Jeff Daniels, que tenho em grande conta desde os 101 Dálmatas, e depois há um actor-criança que aparece com um som engraçado de sintetizadores.
João | 18:34 | 1 comments

não é habitual gostar de filmes com hype indie. nestas férias vi em DVD o Rodger Dodger e o I heart huckabees e achei ambos muito medianos.

mas fiquei a pensar. no sub-género indie havia aquela fórmula de personagens em sofrimento inconsciente que colapsavam no final. doenças sociais, etc. entretanto surgiu esta fórmula de clowns existencialistas que têm empregos e Ipods, tipo, uma ideia abstracta de sorrisos melancólicos e crescimento pessoal. mas não sou contra, seguir uma fórmula não é equivalente a fazer um mau filme.
outra sensação que tenho é que surgem esses filmes com hype indie, pseudo-originais, depois aparece o Clint Eastwood sem influências MTV e é aplaudido de pé. os aplausos são uma reacção aos realizadores espertinhos.

estou a pensar se teria perfil para ser um realizador espertinho.

hm, reunia um elenco de actores com dentes tortos e desejos sexuais latentes. os personagens principais (uma imagem) arranjavam sexo pela internet e mandavam currículos por mail. não seria melancólico nem geracional. acabaria no futuro com um Portugal em arranque económico onde todos conseguiam comprar apartamentos em Lisboa. seria um filme sobre pessoas com dentes tortos, embora isso surgisse como uma coincidência.

João | 17:54 | 5 comments

_ segunda-feira, junho 19, 2006 _


a Isobel escreveu: A vida é um ciclo de contágio.

a próxima vez que acontecer beijar várias pessoas ao mesmo tempo, espero lembrar-me que A vida é um ciclo de contágio. gostei da frase. tenho-a repetido muitas vezes, inclusive ao senhor de bigode que me importunou esta sexta-feira.

João | 11:43 | 3 comments

curtia bué ver um concerto das Hole no Maxime.

João | 10:12 | 6 comments

_ quinta-feira, junho 15, 2006 _


regresso a casa.


expirou a validade de tanta coisa, mas comi um iogurte mesmo assim.

há demasiadas pessoas problemáticas. podia dizer isto ao som de Love the one you're with das Supremes. podia dizer isto ao som de I want to be on a mountain-top with a radio and good batteries and play a joyous tune and free the human race from suffering.
João | 23:35 | 8 comments

ontem trovejou. acordei às 13h58.

estive com a família e a minha irmã leu o horóscopo do Correio da Manhã em voz alta. a última frase do meu era "mudança de circunstâncias". o meu pai é do mesmo signo mas para ele não acertou em nada, nem para os familiares que são Peixes, nem para os familiares que são Virgem, nem para os Leão. para mim acertou naquela frase.

João | 01:32 | 2 comments

_ segunda-feira, junho 12, 2006 _


sharks names control these waters


João | 20:20 | 3 comments

Abri luzes, fechei luzes, pulei em cima dos sofás, (...)
Eduardo Prado Coelho hoje. isto não é verdade.

João | 19:00 | 0 comments

_ sexta-feira, junho 09, 2006 _


em Aveiro vou ouvir Old Jerusalem. tenho andado com vontade de Alter Ego.

bem, o casal do post anterior estava lá no dia seguinte. o rapaz era muito parecido com este actor, mas em moreno e com um grifo tatuado no braço esquerdo e mais rural.


(esta pic vai ser a minha pic no messenger)

quase ninguém gostou do Manchurian Candidate. eu gostei por ser muito irreal.

quando regressava a Lisboa reparei que a meio da A8, já depois de Óbidos, existe um Rio Real. fiquei com vontade de tirar uma fotografia à placa de sinalização para pôr aqui no blog, mas ia a 130 km/h e não tive tempo de retirar a máquina fotográfica da mochila.

porque continuei a observar a dinâmica do casal, usei os óculos de sol para disfarçar, e agora tenho a marca dos óculos na cara.

os Day One são uma banda falhada da editora falhada Melankolic, têm uma música que se chama I'm in your life. é o que sinto.
João | 01:37 | 4 comments

_ quarta-feira, junho 07, 2006 _


na praia
estava um casal a dois metros de distância. o rapaz aparecia primeiro, ela quase não se via. eu lia um artigo sobre a presença da GNR em Timor Lorosae, e olhava as fotografias dos GNRs, quando reparei que o rapaz tinha um corpo interessante (podia ser um GNR em Timor).

observei o casal com atenção. ele estava a ser muito afectuoso, tão afectuoso, a fazer coisas tipo sussurrar ao ouvido, cócegas na barriga, beijos no pescoço. esteve nisto durante quase uma hora. e por acaso não tinha nada o tipo de corpo de pessoa afectuosa, o que me confundiu.

a rapariga, da qual só via uma perna e um braço (não aparecia no meu campo de visão) (de qualquer forma não era bonita), não reagia, o que me começou a irritar, pelo que virei as costas ao casal e prossegui na leitura do jornal.

a crónica da Teresa de Souza - a influência de Condoleeza Rice sobre Bush é mil vezes maior do que a de Dick Cheney.

virei-me para poder observar o casal outra vez (estava obcecado). a rapariga tinha a cabeça levantada, chorava. não consegui disfarçar o meu interesse quando percebi isto (foi um choque), de maneira que ela acabou por retribuir a atenção e também olhou para mim.

João | 00:56 | 5 comments

_ terça-feira, junho 06, 2006 _


someone to watch over me
someone to get over you

+ duas semanas de férias!

João | 23:43 | 0 comments

um jogo de pergunta e resposta

a Nina Simone a cantar a música Ain't got no (i got life) tem sido um mantra. o refrão é uma lista:
Got my hair, Got my head, Got my brains, Got my ears, Got my eyes, Got my nose, Got my mouth, I got my smile, I got my tongue, Got my chin, Got my neck, Got my boobs, Got my heart, Got my soul, Got my back, I got my sex, I got my arms, Got my hands, Got my fingers, Got my legs, Got my feet, Got my toes, Got my liver, Got my blood, I've got life.
quis fazer uma playlist que abrisse com esta música, decidi continuar com a Brass in Pocket dos Pretenders. o refrão:
Gonna use my arms, Gonna use my legs, Gonna use my style, Gonna use my side-step, Gonna use my fingers. Gonna use my, my, my, imagination. Cause I going make you see...

João | 09:23 | 1 comments

_ domingo, junho 04, 2006 _


Honoré de Balzac

estava na praia a ler o Público de sexta-feira e encontrei este anúncio muito engraçado na secção de classificados.
João | 20:39 | 8 comments

_ sexta-feira, junho 02, 2006 _






2 discos de cujas capas gosto muito. faço hoje 25 anos.
João | 13:09 |

_ quinta-feira, junho 01, 2006 _


fabulous muscles
cremate me
after you come on my lips
honey boy
place my ashes in a vase
beneath your workout bench


isto é a música Fabulous Muscles dos Xiu Xiu, uma balada. a música de ginásio por acaso não tem nada a ver, é sempre house, da categoria má do house, ou trance. tipo DJ Funki Plummer e DJ Trance Wife (inventei estes nomes).

ontem, quando saí, tinha o Rufus Wainwright no carro e o cd recomeçou na faixa The tower of learning. cheguei à conclusão que depois de trance e exercício físico (não sei se posso chamar exercício físico aquilo que faço, para mim está mais próximo de pornografia), aceito muito bem todo o tipo de música melancólica.

mais tarde tive o seguinte sonho:
podia existir uma máquina de exercício que se chamasse THE TOWER OF LEARNING. assim algo semelhante a uma máquina de hemodiálise, para limpar os erros do sangue. isto pode parecer contraproducente, mas baseio-me no que aprendi em Teoria da Aprendizagem Computacional... o nome da máquina estava escrito em maísculas e a amarelo, com letra estilizada igual aos títulos de filmes de acção. hmm.., e era também uma máquina sobre o amor, como na música The Book of Love.

João | 11:07 | 3 comments