.comment-link {margin-left:.6em;} <$BlogRSDUrl$>
_

_ segunda-feira, março 28, 2005 _


O que é ser "eu próprio"?

Algumas pessoas vêm o cinismo como uma coisa má. Eu não. O que me interessa se digo "Bom dia" à minha vizinha mas não gosto dela?, sou mau porque lhe escondo a minha natureza profunda? A boa-educação pode ser uma forma de cinismo, o politicamente correcto pode ser uma forma de cinismo.
Quando ouço alguém dizer que não é cínico, sorrio. O meu sorriso é cínico.

Acho piada a esta corrente de neo-hippies vegetarianos barba rala, embora uma coisa não tenha nada a ver com a outra.

João | 16:28 | 4 comments

It's warmer now : lean into it
unfold in a generous way
surrender
surrender

undo

It's not meant to be a strife
it's not meant to be a struggle uphill

I'm praying
to be
in a generous mode
the kindness kind
the kindness kind
to share me
quietly ecstatic

It's not meant to be a strife
it's not meant to be a struggle uphill

Undo

Undo : if you're bleeding
Undo : if you're sweating
Undo : if you're crying

Undo
João | 16:11 | 0 comments

_ quinta-feira, março 24, 2005 _





I’m laughing
Saw you gonna kiss me
You see
Yeah as I said
João | 11:25 | 1 comments

_ segunda-feira, março 21, 2005 _


Gosto mais ou menos do novo disco da Tori Amos. À excepção de duas músicas ("Sweet the Sting" e "The Power of Orange Knickers"), que gosto muito, é só maisoumenos. é cosy, só. A Tori já não é capaz de nada arrebatador, e ainda por cima não se consegue livrar daquela coisa da religião e isso torna-a tão chata como, sei lá, o Moby. Move on, girl!
...
Esperar um disco arrebatador da Tori Amos tem a ver com expectativas. É preciso saber gerir expectativas como é preciso saber gerir os tempos.
...
Como compensação, virei-me com prazer para o "Boys for Pele" no domingo, e hoje, quando sair do trabalho, vou à Hippodrome ver se arranjo discos marcantes dos 90s (Tori Amos inclusive). E talvez, quem sabe, comprar um trapinho. Se conseguir fazer isto, o meu dia está salvo.

João | 11:30 | 5 comments


4
João | 10:01 | 3 comments

_ sexta-feira, março 18, 2005 _


"Fade into you", Mazzy Star



I want to hold the hand inside you
I want to take a breath that’s true
I look to you and I see nothing
I look to you to see the truth
You live your life
You go in shadows
You’ll come apart and you’ll go black
Some kind of night into your darkness
Colors your eyes with what’s not there.

Fade into you
Strange you never knew
Fade into you
I think it’s strange you never knew

A stranger’s light comes on slowly
A stranger’s heart without a home
You put your hands into your head
And then smiles cover your heart

Fade into you
Strange you never knew
Fade into you
I think it’s strange you never knew

Fade into you
Strange you never knew
Fade into you
I think it’s strange you never knew
I think it’s strange you never knew
João | 11:26 | 3 comments

_ quinta-feira, março 17, 2005 _



Quero ver este filme. Pontos a favor: realizado pela mesma mão que fez "Irma Vep", estou obcecado pela ideia de ver a Maggie Cheung fumar. Viva o realismo! Pontos contra: está em exibição no Nimas, cinema que já me habituei a ver como sala-fantasma.

Re-edit.
Já vi. É daquele género de filmes que apetece gostar, apesar da mediania. É como ouvir um disco dos Mazzy Star.


Sinopse: Após vários anos a viverem juntos, Lee Hauser e Emily Wang são um casal acabado. Quando Lee é encontrado morto num quarto de hotel, Emily é presa por posse de droga. Seis meses depois, é libertada e decide começar de novo em Paris, cidade onde antes vivera. Mas tudo mudou. A única coisa a que ainda se sente ligada é o seu filho, Jay, e se Emily espera voltar a vê-lo de novo, tem de encontrar um emprego e largar a metadona, que começou a tomar na prisão. Tem de desistir de uma série de coisas, especialmente do seu sonho de se tornar cantora.
João | 15:18 | 0 comments

Aqui vai uma banalidade: trabalhar com calor é chato.
João | 15:16 | 2 comments

_ terça-feira, março 15, 2005 _


(adenda 2006-08-10: post dedicado ao A, na saúde e na doença)

some things take time

Quando mudei de casa devolvi as chaves ao senhorio, juntamente com o porta-chaves, motivo pelo qual me encontro agora com as chaves da casa nova espalhadas pelos bolsos. E isto, fazendo parte da esfera da vida pessoal, a vidinha, não mereceria um post. Não fosse ter sonhado ontem à noite com um porta-chaves.

Só me lembro mesmo das mãos (seriam minhas?) e do porta-chaves. Era oval, tinha o esquema de cores deste blog, e no centro, em letras cor-de-rosa: HOME AND DRY. Trata-se da minha música preferida dos Pet Shop Boys, e modéstia à parte, um bom slogan para porta-chaves. Pronto, partilhei. Alguém em contacto com os responsáveis pelo merchandise dos Pet Shop Boys que transmita a ideia.

...

So my baby's on the road
doing business, selling loads
charming everyone there
with the sweetest smile

Oh tonight
I miss you
Oh tonight
I wish you
could be here with me
but I won't see you
'til you've made it back again

Home and dry
Home and dry

There's a plane at JFK
to fly you back from far away
all those dark and frantic
transatlantic miles

Oh tonight
I miss you
Oh tonight
I wish you
could be here with me
but I won't see you
'til you've made it back again

Home and dry
Home and dry

Far away
through night and day
you fly long haul tonight
Come to me
you know I'll be here
when you call tonight

Home and dry
Home and dry

João | 14:52 | 2 comments



Com pontos de contacto com as freakalhices sónicas dos LCD Soundsystem e aparentados, acresce ao som dos Mu um ambiente demente e opressivo - as capas dos discos são auto-explicativas - que já há muito tempo uma banda não me fazia sentir. Experimentem ouvir "My name is Tommi", para começar. Ora é este ambiente perturbante que eleva os Mu acima da vaga indistinta de bandas rock-pa-dançar (ou bandas electrónica-pa-rockar, se preferirem), e faz deles, para mim, uma das grandes descobertas de 2005. Isto apesar de o primeiro álbum, "Afro Finger and Gel", datar já de 2003.
A vocalista, nas duas capas, é Mutsumi Kanamori. Veio ao Lux recentemente, ao que parece sozinha, e apresentou a banda em registo karaoke-performativo (eu não fui ver, e ainda bem).
João | 13:55 | 0 comments

_ segunda-feira, março 14, 2005 _



3
João | 10:54 | 1 comments

Quando mudei de casa, pensei para mim que era a altura certa para criar um quarto super-funcional. Fui ao Ikea e comprei caixas e caixinhas - tudo o que me permitisse, assepticamente, esconder a desarrumação. Ainda acredito em "lost causes", portanto.
João | 10:37 | 0 comments

_ sexta-feira, março 11, 2005 _




Ontem a Rita fez finalmente jus à alcunha "Misshape". Sim, porque podemos ser ignorados por empregados de mesa, mas não somos ignorados pelo Jarvis Cocker!
João | 12:30 | 1 comments

_ quinta-feira, março 10, 2005 _


empresta-me os teus discos


Legendary Girlfriend
Y'know, sometimes, when we're lying together, and I know you're asleep, I can hear the soft sound of your breathing. So I get up. And I go to the window. Outside I can see all the houses - curtains shut tight against the night, asleep beneath the roof tiles. And as I stand there I wonder, I wonder how many more times I'm gonna come here, I wonder how many more times I'm gonna lie here. But most of all, most of all I wonder, I wonder what it means. I just wanna know what it means.
João | 11:54 | 0 comments

empresta-me os teus discos


Something Changed
I wrote this song two hours before we met. I didn't know your name or what you looked like yet. Oh I could have stayed at home and gone to bed. I could have gone to see a film instead. You might have changed your mind and seen your friend. Life could have been very different but then something changed. Do you believe that there's someone up above? And does he have a timetable directing acts of love? Why did I write this song on that one day? Why did you touch my hand and softly say, "Stop asking questions that don't matter anyway. Just give us a kiss and celebrate here today - Something changed". When we woke up that morning we had no way of knowing that in a matter of hours we'd change the way we were going. Where would I be now if we'd never met? Would I be singing this song to someone else instead? I dunno but like you said - something changed.
João | 11:41 | 2 comments

_ terça-feira, março 08, 2005 _



Il lui fait horreur.... mais elle l'adore.
João | 14:45 | 0 comments

> let's get physical <


Não me pareceu a obra-prima que todos anunciaram, mas é daqueles filmes a que respondo fisicamente, com um nó no estômago e outro na garganta.
João | 10:15 | 1 comments

_ quinta-feira, março 03, 2005 _


Na casa nova não tenho net (por enquanto). O que significa que não tenho soulseek, e que portanto, dependo da minha colecção de discos e não de ficheiros mp3. É uma estranha condição nos dias que correm, mas tem-me permitido reatar laços com discos que de outra forma não ouviria, e com canções que foram "estruturantes" no passado. Como esta:

it takes courage to enjoy it
the hardcore and the gentle
big time sensuality


João | 11:05 | 4 comments

_ terça-feira, março 01, 2005 _




Good luck good luck
Good luck in your new bed
Enjoy your nightmares honey
When you're resting your head
João | 10:20 | 2 comments


1. Fim-de-semana no Porto, pela primeira vez. Engraçado. A paisagem cidade-versus-rio é muito mais bonita do que em Lisboa, mas o resto da cidade não era exactamente o que eu esperava. É tudo muito espaçado e... baixo. Não há por exemplo uma Avenida da República.
2. Alguém interessado em fazer uma "DO-YOUR-IRS PARTY"?! Podia ser algo como: "C'mon, c'mon, put your bills in the air, Yo Yo!".
3. Mudar de casa é esgotante. O quarto já migrou, agora só faltam os utensílios de cozinha.
João | 09:06 | 7 comments